Atualizar a fan page da empresa não é suficiente

Print pagePDF pageEmail page

Gerenciar a fan page da sua empresa estrategicamente trará muito mais resultados!

A internet é teoricamente democrática e serve de suporte para a subversão do formato tradicional da comunicação, pois permite que qualquer usuário produza e compartilhe conteúdo tornando-se um formador de opinião, sem a necessidade de intermediários tecnicamente habilitados para isso. Observando os perfis de usuários nas redes sociais conseguimos identificar, avaliar e qualificar as características desse indivíduo. Baseado em suas publicações é possível acompanhar seu momento de vida, suas alegrias, tristezas, conquistas, frustrações, dores, posturas, contrariedades e uma série de outros sentimentos.

Trazendo esse contexto para o ambiente corporativo as perguntas que empresas com presença digital em mídias sociais devem se fazer em relação à percepção do público são: Qual a imagem que passamos? Quais são nossas dores? Em que fase da vida corporativa a empresa se encontra? Que tipo de sentimentos deixamos transparecer publicamente? Nossas publicações são do interesse do público? Qual o nosso nível de comprometimento com a audiência? Nossa linha editorial é coerente com nossa missão, visão e valores? Nosso público interno (colaboradores) participa, interage ou compartilha nosso conteúdo?

A comunicação organizacional deve ser gerida de maneira estratégica. Saber a diferença entre gerenciar e atualizar mídias sociais contribui para melhor qualificar e analisar conteúdos e resultados. Enquanto atualizar um perfil representa alimentar a rede com dados e informações, gerenciar um perfil implica em pesquisa, planejamento, execução, controle e avaliação dessas informações. O pensamento estratégico nas ações de comunicação dentro do ambiente virtual orienta a razão de ser de uma presença online e está diretamente vinculado ao alcance dos objetivos corporativos.

Assim como acontece nas redes pessoais, onde interagimos com nossos amigos, as ações de apropriação, compartilhamento e disseminação de conteúdos, que resultam das interações entre as organizações e o público, são elementos absolutamente ativos na construção da imagem corporativa, daí a importância de haver uma concordância entre o que é propagado e o que está escrito na declaração de valores da empresa, por exemplo.

Definitivamente, imagem deixou de ser somente um conceito para se tornar uma forma de relacionamento social e representa uma força mobilizadora capaz de tanto promover satisfação quanto condenar relacionamentos ao fracasso. Uma vez que a imagem representa a projeção pública da identidade empresarial e expõe fatores intrínsecos e extrínsecos de sua essência, é natural que em determinado momento da trajetória a empresa tenha que administrar o impacto desse conjunto de simbolismos percebido pelo público. Não basta promover uma imagem positiva, será preciso administrar a competitividade que nada mais é do que gerar negócios lucrativos, agradar clientes e parceiros e sustentar a credibilidade.

Um dos aspectos mais relevantes da presença online é a perspectiva de mão dupla das comunicações. Saber administrar as manifestações dos usuários de modo a transformá-las em ferramentas em prol do fortalecimento da autoridade da marca, evita que a empresa acabe colhendo prejuízos ao se envolver em questões polêmicas, decorrentes da má gestão dessas intervenções. Aqui, se evidencia a importância da empresa estar presente nas mídias sociais para monitorar comentários que envolvem seu produto. Isso vai transmitir ao público uma preocupação da empresa com a opinião de seus clientes.

Uma vez que engajamento se tornou a palavra da moda, vale lembrar que as pessoas só se sentem estimuladas ao engajamento quando também se sentem identificadas com determinada marca ou produto. Uma presença digital deve, acima de tudo, ser útil ao usuário. Além de divulgar produtos e promoções a marca precisa produzir conteúdo útil, relevante, educativo, que esclareça as dúvidas do usuário e ofereça soluções para suas necessidades. Ainda é possível ir além. Que tal dar uma pausa nas vendas para contar uma história? Sim, as pessoas gostam de apreciar histórias com as quais se identificam!

FONTE: @ideiademkt