Como criar uma campanha de vendas através do WhatsApp

Uma vez que já exista um relacionamento através do whatsapp, seja com seus clientes como também com seus prospectos, é hora de iniciar campanhas com objetivo de conseguir resultados mais efetivos, focado em vendas. Caso ainda não tenha iniciado esse relacionamento, confira nosso artigo onde oferecemos 7 dicas essenciais para iniciar esse trabalho de vendas através do whastapp.
Será necessário muita criatividade para desenvolver uma ou mais campanhas de divulgação do portfólio de produtos e ou promoções dos mesmos. Vale ressaltar que é fundamental que o seu negócio ofereça as condições necessárias para essas campanhas, como material gráfico dos produtos, preços promocionais, lançamentos de novidades, entre outras possibilidades. Caso seu negócio não ofereça alguns destes de recursos, o trabalho e será ainda maior exigindo ainda mais criatividade e disposição, pois tudo deverá ser criado praticamente do zero.
Essas campanhas devem fazer parte de um planejamento de marketing que deve ser elaborado previamente, de forma que se tenha objetivos claros com as definições das metas que se deseja alcançar. Para isso vamos entender melhor o que é uma campanha de marketing.

O que é uma campanha de marketing?

A campanha de marketing é todo o planejamento feito para se alcançar determinados objetivos traçados pela empresa. Como consequência tendem a aumentar as vendas e a visibilidade da empresa e sua marca.
Para planejar uma campanha o primeiro passo é traçar os objetivos que sua empresa pretende alcançar. Após deixar claro seus interesses, confira alguns passos importantes para se fazer um bom planejamento na sua campanha de marketing:

  • Saiba quem são seus clientes e faça ações focadas. Uma campanha que sabe o alvo a ser atingido, tende a ter melhores resultados;
  • Conheça seus concorrentes e as dificuldades do mercado. Assim conseguirá traçar o melhor caminho para o sucesso;
  • Estude como está o mercado do qual faz parte e saiba as táticas de seus concorrentes;
  • Pense em como seus produtos e/ou serviços serão vistos pelos seus clientes;

Como planejar uma campanha de marketing?

Para desenvolver uma campanha de marketing a criatividade é um dos pontos que devem ser explorados ao máximo. Para isso é importante conhecer o dia a dia da empresa, como é o relacionamento entre os vendedores e os clientes e as dificuldades rotineiras.
Confira três dicas para se começar um processo criativo de uma campanha de marketing:

  • Mergulhe de cabeça nas ideias e não se autocensure. Essa é uma etapa para se pensar e analisar todas as possibilidades;
  • Tenha calma! Uma ideia boa pode demorar para surgir;
  • O ambiente pode influenciar na sua criatividade. Então as vezes faz bem mudar de ares;
  • Lembre-se! Não desista caso as primeiras tentativas não tenham dado resultado. O segredo do sucesso também está em persistir e insistir.

Lição de casa

Elabore uma relação com todas as ideias que conseguir, seguindo as orientações acima (Não seja tímido e coloque no papel tudo que passar pela sua cabeça). Estabeleça, mesmo que de forma primária, quais são os objetivos e resultados que deseja alcançar com as campanhas;

Apenas com esse material em mãos é que será possível continuar o trabalho, pois é a partir dele que vamos definir as ações que darão inicio as campanhas de whatsapp marketing.

Segue abaixo algumas dicas de campanhas que podem criar:

  • Divulgar promoções;
  • Oferecer descontos especiais através de cupom de desconto;
  • Divulgar o lançamento de um novo produto;
  • Divulgar tabelas de preços promocionais;
  • Divulgar produtos em geral;
  • Enviar mensagens especiais em datas comemorativas;
  • Realização de promoções e ações focadas nas datas comemorativas;
  • Oferecer vantagens e benefícios para os clientes mais ativos.

Necessidades para criação e execução de sua campanha de WhatsApp Marketing

Aplicativos para edição de imagens

Nessa fase será necessário saber manusear de forma adequada as ferramentas de envio de fotos e vídeos que o whatsapp oferece. Também será essencial conhecer e utilizar alguns aplicativos para tratamento e edição de imagens, pois é muito mais fácil e prático realizar tudo através do seu dispositivo móvel, seja ele celular ou tablet. A ideia aqui é que qualquer um, seja o gerente ou até mesmo os vendedores, possam criar imagens e ou vídeos para enviar para os seus clientes. Caso sua empresa ou seus fornecedores já possuam material gráfico disponível, basta salvar esse materiais na biblioteca (Galeria) de seu dispositivo para utilização nas campanhas.

Um aplicativo que utilizo para criar minhas imagens de uma forma rápida e simples é o aplicativo PicLab. Com ele você consegue adicionar filtros, texturas, bordas, tipografia e por aí vai. Quem define o limite da edição é a sua criatividade. São mais de 150 sobreposições, mais de 20 filtros e muito mais.

O PicLab possui uma interface simples e sem complicações. É instintiva a forma como você irá mexer nele. Ao iniciar o app, ele abre direto no modo câmera, porém você também pode acessar as fotos da sua galeria. A partir daí é só seguir com sua edição, adicionando na foto o que você deseja. Ele é um aplicativo preemium. Algumas funções já vem habilitadas, porém se você quiser mais fontes para os textos, mais efeitos, mais texturas você precisará desbloquear pagando.

Para baixar esse aplicativo basta pesquisar por piclab na Play Store ou na Apple Store. Existem diversos outros aplicativos para criar, editar, formatar e tratar imagens.

Exemplo de Campanha

Agora que já sabemos a importância de criar e planejar uma campanha de whatsapp marketing, bem como utilizar as ferramentas adequadas para criar e compartilhar essa campanha através do seu dispositivo móvel, vamos simular uma campanha para que fique bem claro como funciona todas as etapas dessa fase. Vale ressaltar que essa campanha é apenas uma simulação.

1. Passo: Qual o objetivo da campanha

Nosso objetivo nessa campanha será a venda do Kit Mega Massa Anti-Queda Desalfy Hair para no mínimo 30% da lista de contatos com relacionamento ativo da nossa lista do whatsapp.

Procurei criar um objetivo simples e com meta definida. É muito importante definir uma meta nesta fase, pois dessa forma é possível mensurar os resultados ao final da campanha.

Dica#1: Seja otimista na definição das metas e não exite em pensar grande.

Se você traçar metas absurdamente altas e falhar, seu fracasso será muito melhor que o sucesso de todos – James Cameron, cineasta

2. Passo: Planejamento da Campanha

O Planejamento da campanha compreende a forma como ela será executada visando alcançar os resultados desejados. Para isso vou descrever um checklist com todas as ações necessárias que devem ser executadas:

  • Criação de um cupom promocional do Kit Mega Massa Anti-Queda Desalfy Hair, oferecendo um desconto de 10% (não sei exatamente a sua margem de lucro e se é possível oferecer um desconto desta proporção, mas vale lembrar que essa campanha é apenas um exemplo).

Dica#2: Gatilho Mental de Ancoragem de preço: Uma estratégia interessante nestes casos é mostrar o preço antigo em comparação com o preço que está oferecendo através do cupom, ex: De R$99,90 por R$89,90.

  • Salve uma imagem do Kit Mega Massa Anti-Queda Desalfy Hair em seu dispositivo móvel;
  • Abra essa imagem no app Piclab ou no seu aplicativo de edição de imagens favorito;
  • Insira em destaque o % de desconto e também a ancoragem de preço;
  • Salve em sua galeria.

O Resultado final deve ser algo parecido com isso:

É possível inserir molduras ou até mesmo trabalhar filtros na imagem. Quanto mais profissional a imagem melhor. Por isso eu recomendo sempre muito cuidado nessa etapa. Caso tenha alguma dificuldade em produzir tais imagens, contrate um designer gráfico para auxiliar na produção deste material, ou até mesmo utilize as imagens e materiais que os fornecedores produzem.

3. Passo: Organização dos contatos para envio da campanha

Com base no histórico de relacionamento já iniciado com seus clientes e prospectos, selecione aqueles contatos que foram recíprocos ao atendimento via whatsapp e principalmente aqueles que afirmaram salvar o seu contato na agenda. Para isso recorra a planilha na qual está controlando o relacionamento com os clientes.

4. Passo: Escolha uma data e um horário ideal para enviar a campanha

Com base no conhecimento do seu mercado dos profissionais desse ramo, escolha a melhor data (dia da semana) e o melhor horário para envio da campanha. Evite enviar a campanha fora do horário comercial. Defina tamném um prazo de validade para a promoção.

5. Passo: Escolha uma frase para acompanhar a imagem da campanha

A frase que acompanha o imagem da campanha deve despertar ainda mais a vontade do cliente para comprar seu produto. Deve ser curta, simples e direta. Segue abaixo uma proposta:

  • Kit Mega Massa Anti-Queda Desalfy Hair – Os 10 primeiros clientes que comprarem esse fantástico Kit ganharão 10% de desconto. Promoção válida por 24h.

Dica#3: Nesse caso utilizei um outro gatilho mental, conhecido com “escassez”. Quando falo que apenas os 10 primeiros ganharão, isso pode despertar no cliente uma preocupação em perder a promoção e logo já efetivar o pedido de compra. Vale ressaltar que essa é apenas uma estratégia interna da sua empresa.
Dificilmente os clientes saberão que você tem mais de 10 kits para vender. Porém é importante ressaltar que se tenha bom senso na utilização dessa estratégia.

6. Passo: Envio da campanha

É chegada a hora de executar a campanha. Depois de planejadas todas as etapas acima descritas, agora é a hora de enviar as mensagens para seus clientes na data e horário planejados. Existem duas maneiras de enviar a campanha:

  1. Enviar individualmente;
  2. Enviar através de uma lista de transmissão.

É claro que a segunda opção é a mais prática, pois você economiza muito tempo enviando uma única mensagem para todos os contatos selecionados. Único detalhe é que esse recurso só funciona quando o seu número de telefone está salvo na agenda dos contatos que vamos abordar. Se você cumpriu com todas as etapas de relacionamento conforme indicado em nosso artigo com as 7 dicas essenciais para fazer negócio através do whastapp isso não será um problema. Para enviar a campanha utilizando a lista de transmissão siga os passos do artigo como criar e administrar um lista de transmissão no whatsapp.

Caso queira enviar a campanha para aqueles contatos que você não tem certeza que o seu contato foi salvo, utilize a opção de enviar individualmente.

7. Passo: Follow-up da campanha

Após o envio da mensagem da campanha, no menu lista de transmissão ficará registrado o nome da lista na qual a mensagem foi enviada. É possível acompanhar todos os dados da campanha, como quem já recebeu, que leu e quem ainda não leu a campanha. Também é possível editar a lista, alterando o seu nome ou até mesmo inserindo novos contatos.

As mensagens são entregues individualmente aos contatos da lista de transmissão, sem revelar os destinatários. As respostas de cada cliente estarão disponíveis em conversas individuais. Responda a cada dúvida que surgir ou até mesmo negocie com cliente caso ele mostre interesse mais ainda queira negociar mais descontos para uma quantidade maior ou até mesmo queira outros produtos.

No caso dos clientes que não responderem, certifique-se daqueles que leram mas não demonstraram interesse e, quando se aproximar o término do promoção, envie mais uma mensagem perguntando se realmente eles não querem aproveitar o cupom de desconto. Já para os clientes que não leram a tempo ou até mesmo não receberam a mensagem, a proposta é não insistir para manter a política de marketing permissivo e respeitoso.

Ao final do prazo da promoção faça uma avaliação do resultado da campanha, contabilizando todas as vendas e verificando se atingiu ou não a meta. Anote esses dados em uma nova coluna especifica desta campanha em sua planilha. Com isso será possível qualificar ainda mais sua lista de contatos, destacando os clientes ativos que compram mais, os ativos que compram menos ou até mesmo os inativos. Para cada campanha crie uma nova coluna em sua planilha. Futuramente será necessário criar uma segunda lista separando os ativos dos inativos, de forma a criar campanhas específicas para cada perfil de cliente.

FONTE: http://vidamaisfacil.com.br
AUTOR: Thiago Sanches

Geomarketing – Sua marca no quintal do cliente

Um pressuposto básico para uma empresa se estabelecer ou ampliar seus negócios é estudar o mercado. Fazem parte das estratégias de marketing buscar respostas referentes a questões como: Quem são nossos clientes? Onde vivem? Quais são seus hábitos? Onde está nossa concorrência? Qual o melhor local par abrir uma nova loja? Será viável determinada expansão? É justamente nesse contexto que se insere o geomarketing.

Talvez você tenha conhecido alguma empresa que utilizava aqueles mapas enormes, fixados nas paredes e sinalizados com alfinetes indicando áreas de cobertura da força de vendas, essa estratégia é precursora do geomarketing e tem por objetivo identificar os pontos de vendas, a divisão de territórios, o potencial das áreas atendidas e não atendidas, localização dos melhores clientes ativos e inativos e a identificação de prospects, por exemplo.

Evidentemente que o uso de informações geográficas nos dias atuais tornou-se ainda mais substancial, tendo em vista o nível de competitividade entre empresas e marcas em âmbito global. Com a utilização de tecnologias digitais e sistemas de informações geográficas, é possível otimizar o processamento e a armazenagem de um volume cada vez maior de dados, o georeferenciamento evoluiu do mapa na parede para o acesso remoto das ferramentas digitais.

A Federal Interagency Coordinating Committee (F.I.C.C.) definiu em 1988 o conceito de S.I.G. como “Um sistema de hardware, software e procedimentos organizados de forma a possibilitar a aquisição de dados, gestão, manipulação, análise e visualização de dados espaciais, de tal modo que seja possível resolver problemas de planeamento altamente complexos.”

O Georeferenciamento, que utiliza o S.I.G. como uma das principais ferramentas, diz respeito à manipulação de dados geográficos e demográficos, que incluem ainda, a utilização de GPS (Sistemas de Posicionamento Global), mapas digitalizados, cartoriamento entre outros.

Alguns exemplos de georeferenciamento amplamente empregados e que promovem uma plena participação do público são o e-governement, que possibilitam o acesso remoto a serviços públicos; e-commerce, serviço de compras e negócios on line e o e-learning, serviços de formação utilizados pelas instituições de ensino.

Como a área de marketing se utiliza do georeferenciamento?

Observamos que muitos dos processos de marketing ocorrem dentro de um contexto espacial e dizem respeito à questões como localização do negócio, área de cobertura, proximidade da concorrência, logística e público alvo, e que a interação entre atributos físicos ou geográficos e humanos, referentes à população e todos os aspectos culturais, comportamentais e socioeconômicos que a envolvem constróem todo o ambiente de negócios no qual a empresa está inserida.

As tecnologias de posicionamento global e os mapas digitais são capazes de individualizar o foco das ações de marketing de tal maneira que é possível rastrear os indivíduos, identificar seus padrões de consumo e os locais que frequenta, facilitando assim, a implementação das estratégias de segmentação, produção, relacionamento, parcerias, expansão e penetração de mercado, bem como, avaliar a concorrência e basear métricas de retorno das ações de marketing.

Os objetivos do Geomarketing são bem específicos

  • Gestão de território
  • Gestão de informação
  • Gestão de clientes
  • Gestão estratégica.

Estes objetivos encerram dados amplos e exponenciais ao planejamento estratégico como perfil e comportamento do consumidor, política de preços, orientação de campanhas publicitárias, promoção, merchandising, oferta de produtos e marketing direto, no uso de e-mail marketing direcionados a um público com interesses específicos.

Especialmente na área estratégica, esse mapeamento será útil a fim de traçar um perfil de determinada comunidade e identificar possíveis necessidades e demandas dessa população local que possam ser atendidas pela empresa. É dessa forma que se constrói o conceito de empresa comprometida com o desenvolvimento social e ocorre o fortalecimento de imagem capaz de garantir uma superioridade competitiva, por exemplo. Um artigo que escrevi anteriormente chamado Marketing social como ferramenta de transformação da sociedade fala sobre a importância de utilizar esta estratégia na busca do fortalecimento das relações cliente/empresa.

Quais as fontes de dados disponíveis?

  • Bases de dados públicas onde constam dados sócio demográficos como IBGE, PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), Ipea (Instituto de pesquisas aplicadas) POF (Pesquisa de Orçamento Familiar)
  • Bases de dados de empresas que prestam consultoria especializada
  • Bases de dados desenvolvida pela própria empresa como pesquisas de mercado e auditorias internas
  • Plataformas Google, como Google Earth e Google Maps.

Uso efetivo dos S.I.G.`s

Adquirir a tecnologia S.I.G. e construir uma base de dados não representa para a empresa uma fórmula mágica de Geomarketing, uma vez que se não houver um alinhamento entre informação, estratégia e plano de execução é bem provável que o resultado sobre o investimento não passe de uma montanha de dados com informações óbvias que não agregam valor algum ao negócio.

É absolutamente essencial a definição precisa de questões como a expectativa da empresa em relação ao estudo, as ações que serão conduzidas à partir desse estudo, a relevância dos dados para determinado objetivo de marketing e o retorno de todo o esforço.

As competências necessárias para administração das estratégias baseadas nesses estudos requerem uma certa especialização e deve ser considerada a criação de uma área de inteligência, com capacitação em geomarketing e com habilidade para interpretar os resultados e incluí-los na estratégia de marketing da empresa. Outra opção é recorrer à empresas de assessoria especializadas no tema, para trabalhar em conjunto com os profissionais da própria empresa a fim de orientá-los no estudo e no planejamento das ações.

Pesquisei por alto sobre softwares open source, de uso livre, encontrei referências ao QGIS que pode ser personalizado pois dispõe de muitos plugins e ao GvSIG mais muito semelhante ao anterior. Eles prometem realizar análise e cobertura geográfica e identificar o potencial de demanda e o nível penetração de mercado, que tratam das principais necessidades do geomarketing. O Sebrae também disponibiliza esse recurso através do serviço Bússola Sebrae.

É impossível discorrer sobre Geomarketing em um único artigo, a intenção aqui é destacar a importância dessa ferramenta como apoio à administração de marketing. Ainda que em um primeiro momento o termo pareça um neologismo basta saber um pouco mais a respeito para compreendermos que se trata do uso da tecnologia em acordo com a geografia, à serviço da inteligência de marketing, e que já faz parte do cotidiano de grandes empresas.

FONTE: @ideiademkt

Trello: Como esta ferramenta pode ajudar você a organizar a sua vida

O Trello é bastante conhecido por ser uma ferramenta de gerenciamento de projetos em listas extremamente versátil e que pode ser ajustada de acordo com as necessidades do usuário. Você pode utilizá-lo para organizar as suas tarefas do trabalho, os seus planos de viagens, as prioridades de seus estudos, entre muitos outros.

Por se moldar conforme os objetivos de cada usuário, o Trello pode ser tanto usado por um só indivíduo como para trabalhos em equipe. Se você ainda não conhece as funcionalidades desse prático serviço, não se preocupe – nós vamos esmiuçar aqui quase tudo o que você pode extrair de proveito do Trello. Leia mais

CONTROLE E COMUNICAÇÃO

Perder espaço no mercado, ter a marca esquecida ou os conceitos considerados ultrapassados têm sido os riscos que tecem o pano de fundo do posicionamento das empresas da nossa era, isso ocorre, pois a internet impõe um ritmo acelerado nas estratégias.

Diante disso, os riscos podem ser minimizados a partir de um olhar para gestão da comunicação com as lentes que enxerguem possíveis potenciais e as limitações das pessoas da equipe desde a contratação.

Neste sentido falar acerca das últimas decisões da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL) e como isso reflete na forma como gerimos a comunicação atualmente é fundamental para criamos parâmetros de sucesso.

A discussão acirrada acerca do limite de dados na internet banda larga nos últimos dias tirou o sossego não apenas daqueles que gostam de jogar online. Isso significa que as relações isoladas inexistem nessa era de ações em tempo real.

Imaginar um acesso restrito a internet é conceber que isso inviabiliza as transações nas mais distintas áreas e pode colocar em colapso desde nossas relações comerciais até a aquisição de conhecimento.

E para fechar nossas esperanças os preços atualmente cobrados pelas empresas de telefonia são altos, e a má fiscalização da ANATEL acerca da entrega dos serviços contratados torna a nossa visão ainda mais pessimista.

Isto é, a internet que temos em nossas casas ou nas empresas de pequeno e médio porte geralmente não possui um contrato de link dedicado, uma vez que os valores desse tipo de serviço que garante a velocidade de navegação estoura o orçamento.

Mas uma pesquisa publicada pela IDC (International Data Corporation) aponta que, 46% das companhias com mais de 250 funcionários têm planos para migrar o tráfego para outras tecnologias (como a internet dedicada) nos próximos anos.

A lição que tiramos daqui é a seguinte: temos partes interessadas com diferentes interesses que precisam de uma gestão imparcial.

Este é o cenário que nos cerca e as constatações acima evidenciam como soa ineficiente a tentativa de controle da comunicação numa era que a palavra de ordem é acesso em tempo integral e real, fato que configura exatamente a impossibilidade de restringir acesso sem causar danos.

Diante disso, chamo a atenção para as medidas internas que determinadas empresas tentam impor para os que ali trabalham, com relação ao controle da comunicação.

Quando tratamos o assunto perante o ambiente organizacional pelo prisma da gestão e restrição do acesso a internet, levanta-se a seguinte questão: Estariam os gestores se posicionando de forma correta ao que o mercado aspira ou apenas optando por procedimentos que facilitam o controle?

Segue a lista das restrições mais comuns nos ambientes corporativos:
  • Sites restritos;
  • Navegação monitorada;
  • Regra de uso de comunicação com clientes e equipe via whatsapp e e-mail. 

Vale indagar então por qual razão os gestores implantam esses sistemas de controle? As possíveis respostas são: para garantir segurança de dados confidenciais; para que não ocorra conflito nas comunicações informais; impor um ritmo de trabalho sem distrações.

E para todas as suposições cabem duas ressalvas: certamente uma capacitação adequada pautada no empowerment ou uma seleção que prime por escolher pessoas com consciência empreendedora para trabalhar na empresa resolva essa necessidade da gestão ser corretiva, impositiva e restritiva.

A era que vivemos exige clareza na comunicação, posicionamento firme de quem o faz e postura profissional.

O efeito colateral dessas restrições é a obsolescência das comunicações interna, uma empresa hoje que proíbe seus representantes comerciais, por exemplo, de conversarem com seus clientes via whatsapp, “ pois não é permitido pelos procedimentos internos da empresa” perde a credibilidade da sua marca ao que se refere à modernidade.

É incoerente vender uma imagem de empresa do futuro quando a gestão prioriza a facilidade de controle ao invés da responsabilidade na ação.

A responsabilidade na ação é permeada por fatores subjetivos o que exige mais da gestão, contudo, uma empresa com regras rígidas não consegue resolver problemas no tempo que o cliente espera, não se antecipa a cenários e possui uma equipe que não se acredita.

FONTE: @ideiademkt